Pesquisar

13 de set de 2014

Rute - Um Amor Sacrificial e Altruísta




          Após perder seu marido, Rute decide seguir sua sogra por onde quer que ela fosse. Mesmo sabendo que as jovens viúvas eram livres para voltrar à casa de seu pai, ela também sabia que se o fizesse, Noemi ficaria sozinha e desamparada.
          Seu amor e misericórdia foram tão fortes que falaram mais alto no momento da decisão: voltar à casa de seus pais ou seguir para uma terra à qual não conhecia, com costumes estranhos, uma nova fé? Como tomar uma decisão que mudaria sua vida para sempre?
          A Bíblia não fala se Rute orou ou não, apenas relata que ela recusou a ir embora com sua cunhada quando Noemi as enviou em paz à casa de seus pais, dizendo: "Não me instes para que te abandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus; onde quer que morreres morrerei eu, e ali serei sepultada. Faça-me assim o Senhor, e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti. (Rute 1:16-17) .
          Palavras extremamente fortes para os nossos dias, não? Ainda hoje, vemos tantos conflitos entre noras e sogras, disputando entre si o tempo todo coisas tão insignificantes, banais...
         O amor que Rute demonstrou a Noemi é um amor com compromisso. Ela se comprometeu a desligar-se de tudo que era importante pra ela e ligar-se na necessidade de Noemi, o que Noemi considerava importante. Rute queria a felicidade de Noemi acima da sua própria e que Noemi se sentisse segura e amparada.
         Às vezes, precisamos ser como Rute, nos importarmos mais com o bem-estar alheio que conosco mesmo Nesse mundo egoísta em que vivemos, cada um buscando seu próprio interesse, vemos pessoas como Noemi: amarguradas, desamparadas, solitárias, achando que Deus não as ama nem se importa com elas...
         A palavra de Deus diz, em Romanos 8,19: "Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus." Por isso, cabe a nós, filhos de Deus, manifestar a graça de Deus aos perdidos através de ações altruístas, desinteressadas, liberais. 
        Acontece que, muitas vezes achamos que se não os conhecemos, nao temos que nos importar com os problemas deles (afinal, não é meu parente, nem mesmo amigo...não tenho nada a ver com isso...).
        Achamos pesado demais cuidar da nossa própria vida e não temos força nem tempo para ajudar o outro a carregar seu fardo. Esquecemos que a lógica de Deus é diferente da nossa, quando ajudamo o outro que acaba sendo ajudado somos nós, porque recebemos forças do próprio Deus. 
        Deus não deixa ninguém que decide fazer aquilo que é certo sem galardão, desde que seja de forma desinteressada, não egoísta. Deus conhece o coração de cada um de nós e sabe as intenções que temos ao fazer algo. 
        Rute achou que ficaria como sua sogra, sozinha. Mas Deus, além de trazer provisão para as necessidades básicas, como alimentação e moradia às duas, fez com que o testemunho de Rute foi espalhado pelas redondezas, trazendo honra a ela. Através do qual, alcançou graça diante de Boaz, um dos parentes de seu marido e que tinha direito de tomá-la como esposa e o fez.
        Boaz não só tomou Rute como esposa, como cuidou também de Noemi; Rute teve um filho e o chamou Obede, o qual foi pai de Jessé, avô de Davi. Ora, Rute chamou a atenção de Deus de tal forma com sua atitude que Deus lhe deu reis como descendentes, entre os quais estão o rei Davi e o próprio Rei Jesus.
        A bênção de Deus sobre nós é sempre maior do que abandonamos por causa dele. Que haja em nós um espírito como o de Rute: "Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo." (Filipenses 2,3)