Pesquisar

2 de nov de 2016

Evolução


          A evolução darwiniana, uma crença filosófica popular entre os livres-pensadores e humanistas, tem pouca validade científica. Sua principal atração, a partir da perspectiva deles, é que ela contradiz o relato da criação do homem descrito no livro de Gênesis. Os praticantes do ocultismo há muito tempo procuram um modo de tornar o homem independente de Deus. Satanás odeia Deus, mas também odeia o homem, porque o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus. Promovendo a ideia da evolução, o Inimigo espera solapar, se não destruir, a fé do homem em sua verdadeira origem espiritual.

          A evolução dá aos praticantes do ocultismo e aos ateístas um modo de explicar a existência do homem, sem ter de torná-lo sujeito às leis inflexíveis e à vontade soberana de Deus. Por esta razão, eles investem muito na teoria e procuram provar sua validade, custe o que custar.

          Se eles não venderem a teoria em sua forma pura, então tentam apresentá-la como "o modo como Deus criou o homem". Isto também é enganoso, pois nenhuma sequência de eventos aleatórios pode produzir uma pessoa viva. Mas, atraindo os cristãos a aceitarem essa casa pela metade — por meio do qual o processo da evolução foi supostamente usado por Deus para criar o homem — eles esperam abalar a crença dos cristãos no livro de Gênesis e a destruir um dogma básico do cristianismo. Se o homem evoluiu, então ele nunca existiu em um estado de perfeição e nunca poderia ter se rebelado, como Adão e Eva fizeram.

          Esteja bem certo sobre o seguinte: a evolução é uma das mentiras mais insidiosas promovidas por aqueles que odeiam o cristianismo e desejam destruí-lo. Se Charles Darwin quis ou não que sua teoria fosse usada para isto não vem ao caso agora.

          Portanto, por que a evolução é falsa? Ela é falsa por que é fundamentalmente sem base científica. Para uma teoria científica ser válida, deve ser possível demonstrar como suas partes componentes estão conectadas. Deixando de fornecer exemplos convincentes dos estágios intermediários no registro fóssil, por meio do qual uma espécie deve supostamente passar, a Teoria Evolucionária cai diante do primeiro obstáculo. Até mesmo seus proponentes mais fortes consideram essa omissão extremamente frustrante. Eles também estão lutando para explicar a formação de novas espécies usando seu sistema de mutações aleatórias e sem direção. É interessante que a explicação que eles estão buscando é uma que satisfará a si mesmos primeiro, não apenas aos céticos!


          Talvez a maior fraqueza na Teoria Evolucionária seja o buraco que existe em seu centro. A teoria estipula que uma espécie evolui quando um de seus membros adquire uma mutação genética aleatória, que de algum modo expande sua capacidade de sobreviver em um ambiente em transformação. Essa mutação benéfica se propaga pelo banco genético via reprodução sexual e confere os mesmos benefícios para as futuras gerações. Entretanto, aqueles que acreditam nesse mecanismo simplista negligenciam o fato que para cada mutação benéfica, existem provavelmente milhares de outras que não são benéficas. Muitas dessas mutações não serão fatais em seu caráter e, portanto sobrevivem e se propagam pela população da mesma forma. Com o tempo, isto levaria à degeneração do banco genético e provocaria o lento desaparecimento da espécie.

          Em resumo, a Teoria da Evolução Darwiniana é, em grande parte, um movimento político na ciência para desacreditar o relato da criação dado no Gênesis. Ela tem infectado as mentes de tantas pessoas hoje, que agora está levando à aceitação das experiências com organismos transgênicos. Isto envolve a mistura de genes de mais de uma espécie para produzir organismos (incluindo animais) que não existem, nem poderiam existir, na natureza. Isto, por sua vez, abrirá a porta para a corrupção do genoma humano, à medida que os cientistas tentarem "aprimorar" aquilo que Deus criou. Quando essas aberrações genéticas se propagarem pelo banco genético humano, o homem deixará de existir na imagem e semelhança de Deus. Esse suposto homem aprimorado é exatamente aquilo que Satanás está tentando fabricar. Que melhor modo de atacar Deus do que corromper a semente de Sua mais alta criação?

          Certamente, este é um preocupante sinal do fim dos tempos. Jesus Cristo fez alusão a isto quando disse que o fim dos tempo será similar aos dias de Noé. Acredita-se que isto seja uma referência, não apenas à forma súbita da chegada da vindoura catástrofe, mas também ao fato que ela virá em um tempo em que o banco genético humano estará prestes a ser corrompido. Você se lembra que o Senhor enviou o dilúvio para livrar o mundo dos nefilins, a descendência dos anjos caídos que se relacionaram sexualmente com as mulheres. Em seguida, Deus regenerou toda a raça humana por meio de oito indivíduos geneticamente puros, que Ele preservou. Como a corrupção do banco genético humano é agora possível e pode ser feita via manipulação genética e com a transmissão de vírus que modificam os genes, há boa razão para acreditar que estamos agora, ou nos aproximando rapidamente, dos "dias de Noé", descritos por Jesus Cristo.

Autor: Jeremy James.